5 de março de 2012

Porque gosto de mamas



Trompetes rasgam os céus com as suas notas sonoras! Anjos caem dos céus, invejosos da beleza deste post.

Apresento-vos as razões porque gosto de mamas.





Este é um post muito especial para mim, porque tive que reflectir bastante. Tive que iniciar uma exploração do meu intelecto para encontrar as razões que me levam a gostar de mamas. Demorei 3 minutos.

Uma pequena introdução? Mas por quem sois, ei-la!

As mamas têm servido como antídoto anti-depressão desde antes do meu nascimento. A sério, não sabiam? Pois. Homens e lésbicas unem-se em admiração por aquelas que são apelidadas de melancias do prazer carnal, essas bolas de carne com nariz, as gloriosas e magistrais mamas. As damas-lésbicas tão comigo nesta não é? Usem essas calças como um João António!

Homens e mulheres regozijam-se quando têm o prazer de acariciar, apalpar, esbofetar (entre outras coisas) as mamas. Mamas dão-nos o leite quando nascemos e dão-nos uma ferramenta de prazer uns aninhos depois. Já vos tinha dito que gosto de mamas? Continuemos então.

Nada melhor do que quando se está em baixo que olhar para mamas.

Já chega de introdução. Eis a razão número 1!

Obviamente que a sua estética tem significado.
Nada fica bem numa mama. Falo de soutiens, t-shirts, camisolas, camisas, casacos, coletes, vestidos, uniformes.
Devia ser tudo banido! Somente usado quando a dita mama é imprópria para consumo. Odeio essas.

As mamas são ninfas, musas de inspiração de arte e de erecção. São seres orgulhosos e vaidosos e devem ser mostradas a toda a hora.

Voltando às mamas feias essas serão tapadas, num jeito de censura. Quem ousa denegrir a imagem das mamas? Sugiro a criação de um regime ditatorial que force estas premissas. Polícia secreta, ghettos. Tudo aquilo que temos direito para usufruir do nosso direito de ver mamas.


As mamas são pedaços d
e Deus.


Advinham de onde veio a ideia daquelas bolas de stress? Exactamente! Mamas! O Toque das mamas.

Aliviam-nos no momento mais stressante. Se tivesse uma mama para espremer quando fazia exames na faculdade decerto teria acabado com média de 20.

E porque será que quando nos dão aquelas bolas de stress, assim que passam 2 minutos, perdemos o interesse? Porque todos já tocamos em mamas, e sabemos que aquilo é uma mentira. Está mal feito.

Dêem-nos uma mama a qualquer hora do dia para apalpar e juntos, mama e eu, conseguiremos salvar o mundo. Se me fornecerem mamas eu arranjo a cura para a sida! Ou apanho sida. Um dos dois.


Todos nós adoramos quando sem querer tocamos numa mama, é como se a vida nos desse um bónus por sermos tão fixes. Se nos portarmos bem, merecemos um toque acidental numa mama. Sai da frente Pai Natal, tenho um novo herói!

As mamas não mentem. Os soutiens sim. Os tops, os push-ups. Mentirosos! Todos eles! Falsos profetas de copas superiores.
O quanto enganaram-me em noites.

Mulheres têm receio da sua natureza e usam utensílios para nos mostrarem o que não são. Se o fazem com as mamas cuidado com o que fazem para tapar o resto. Para taparem os seus defeitos!

Por isso é que gosto de mamas. O que vês é o que tens. O que sentes é o que tocas.
São puras e verdadeiras como poucas coisas o são nesta vida.

E para além disso são mamas, o que há para não gostar?


Agora vou fazer um intervalo para olhar para umas quantas mamas. Já tenho saudades delas.

Sugiro que façam o mesmo e relembrem as vossas razões pessoais para adorarem mamas.
Se desejarem façam uma lista. Mas não se esqueçam, sempre que perdem tempo a escrever uma lista (tal como eu) estão a perder tempo precioso de visualização de mamas!

1 comentário: